COPEB

Ajudando você a voar com as águias!

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas

E-mail Imprimir PDF

Envie suas perguntas para o nosso Presidente.
As respostas serão dadas aqui, para o benefício de todos.
Se você discorda de alguma coisa, por favor, escreva-nos dando a sua opinião.




Qual é o significado da expressão bíblica “coar o mosquito”?
Trata-se de uma figura de linguagem utilizada para descrever aquelas pessoas que se apegam às questões pequenas, mas deixam passar as grandes.
 
Por exemplo, há igrejas que se preocupam demasiadamente com o vestuário dos seus membros, mas não demonstram o mesmo zelo em relação ao seu comportamento ético (adultério, calote, fofoca, vícios etc).

Neste caso, o vestuário seria a mosca coada, e os problemas mais graves seriam os camelos engolidos..

Pergunta lançada pelo irmão J. Carvalho. 



Os Evangelhos muitas vezes apresentam diferenças entre si, como, por exemplo,  a morte de Judas Iscariotes. Mateus diz que ele se enforcou (27:5); Lucas diz que ele se jogou de um barranco e se partiu ao meio (Atos 1:18). Qual é a versão correta, ou como se pode conciliar as narrativas, ou os críticos tem razão em dizer que a Bíblia tem contradições?

Estas divergências nos Evangelhos é uma grande bênção para nós, cristãos, pois, se duas pessoas contam uma mesma história exatamente do mesmo jeito, devemos desconfiar da sua veracidade (como estas "versões" ensaiadas que os réus preparam para apresentar ao juiz, tentando não cair em contradição).
 
Somente os críticos mediocres se apegam a estas pequenas divergências das narrativa bíblicas, pois eles deveriam saber que, num debate sério, estas acusações seriam "munições" a favor da confiabilidade bíblica.

Os críticos inteligentes sabem (e nós também) que é impossível duas pessoas verem ou relatarem um mesmo fato exatamente da mesma maneira, como num acidente de carro, por exemplo, em que as várias testemunhas dão versões bem diferentes do fato.

Por que isso acontece? Por vários motivos:
a) Ângulos diferentes
    No momento exato de um evento qualquer, as testemunhas não estão exatamente na mesma posição geográfica (logo, elas têm ângulos de visão diferentes).

b) Interpretações diferentes
    As pessoas interpretam os fatos. Isto significa dizer que os relatos descrevem não somente o evento em si, mas, também, o ponto-de-vista de quem o está contando (num acidente de carro, por exemplo, alguém pode achar que o motorista de cá é o culpado; uma outra pessoa já pode achar que o culpado é o de lá, especialmente se "o motorista de cá" é seu parente ou amigo). 
 
c) Limitação do conhecimento
   Por exemplo, para determinar o responsável por um acidente de carro, a perícia precisa saber de que direção vinham os veículos envolvidos, as condições do asfalto, as condições dos veículos, se foi falha humana ou mecânica, se houve influência externa (pessoas ou animais na pista) etc.

   Quem relata um fato qualquer, normalmente está se referindo à um momento específico, um instante. Nada sabe do antes ou do depois. Como não combinaram o que iam dizer, os evangelistas deram suas versões dentro do seu conhecimento limitado dos fatos.


Considerações

Quando dois autores bíblicos divergem em certos detalhes de uma narrativa bíblica, eles, mesmo sem saber, por providência divina, deram aos cristãos um inquestionável atestado de veracidade dos fatos. Estas divergências são evidências confiáveis de que os fatos realmente aconteceram. E é isto que importa!
 
Às vezes é difícil conciliar as versões (exatamente como num acidente de carro), mas esta, de Judas, é fácil (já foi inclusive resolvida num filme de Holywood; neste filme, Judas se enforca no alto de um morro, seu corpo fica pendurado, a corda não suporta o peso por muito tempo e se rompe, soltando seu corpo de encontro às pedras lá embaixo).

Perfeitamente possível, não é mesmo?
 

Pergunta lançada pelo irmão J. Carvalho.



Qual a diferença entre sermão e estudo bíblico?
Existem quatro tipos principais de sermão: Expositivo, Textual, Temático e Homilia (além das suas variáveis).

Quanto à estrutura, o estudo bíblico é igual ao sermão temático.

Quanto à apresentação, todos os sermões são diferentes de um estudo bíblico, pois nos sermões os ouvintes costumam apenas ouvir, enquanto que no estudo bíblico eles participam com perguntas, opiniões, experiências etc.

Pergunta lançada por: Adriano Q. Silva. 

Última atualização ( Ter, 10 de Junho de 2008 16:54 )